Começou o verão – além do calor, cada cidadão carioca sente no fundo da alma uma lufada de desesperança: mais um ano se vai e a certeza da fragilidade da vida perpassa rápida chispando diante dos olhos, pequena aragem sentimental. Começou o verão e o consolo é a voz do coração acelerada a ecoar pelas esquinas de cada mente, em um afago indizível, plena vontade de cantar. Começou o verão e a melodia que nos avisa deste novo tempo e nos faz reunir fiapos de espírito para chegar no outro ano graças a Deus já está por aí, volteia no ar fumegante. Começou o verão e a música sublime, de tonalidade singela, direta, nos conforta do nada que somos – e teremos sempre que ser – pois a vida que passa é como a espuma leve da beira do mar, na areia se esvai. Começou o verão e para nosso remédio, ainda que precário, ele está aqui. E canta. E nos embala para longe das agruras do dia. Começou o verão e que bom – temos enfim Roberto Carlos.