Elas reinam absolutas: são as biografias musicais, peças de teatro que o público ama e alguns puristas odeiam. E, afinal, que mal elas fizeram? O que há de errado em contar vidas cantantes sob forma musical? A rigor, elas representam a volta ao palco da filha vadia, a música popular brasileira, que nasceu como espetáculo nas cenas das revistas, operetas e burletas, no final do século XIX início do século XX, fugiu para o radio e para o disco e agora, em nossa época, regressou ao lar. Lá como cá, não há dúvida, fazem sucesso, o povo as adora. Mas, de tanto receber ataques, as biografias estão com vergonha de ser o que são, meros relatos de vida – deram para tentar esconder a…

+Read more