Captura de Tela 2017-07-05 às 01.07.41 High-res version

Amor à cultura, amor ao Rio

 
Muita gente desconfia que religião e cultura são universos antagônicos, inconciliáveis, irredutíveis. Isto não é verdade: depende da religião e do grau de civilização do praticante. Para o tosco, a ordem da selva é a lei natural, não importa qual seja a sua religião. Alguns centros vinculados a práticas religiosas expressam com frequência a devoção mais comovente aos valores culturais mais elevados, aquele alimento primeiro da vida humana de excelência.

 

Um grande exemplo, bem aqui perto? O Midrash Centro Cultural. Lá a cultura é a ordem do dia, a razão fundamental da existência da casa. A religião não embaça a cultura, muito ao contrário, até. Fundado em 2009, o prédio aconchegante do Leblon, de linhas modernas, segue a liderança dinâmica do rabino Nilton Bonder e a atmosfera implantada é da ordem do inefável absoluto: quanto mais cultura, mais o ser se eleva e atende à sua missão.

 

O Centro abriga uma singela sinagoga, em que tanto se pode contar com pequenas cerimônias religiosas, como o serviço de Kabalat Shabat e pequenos Bar/Bat Mitzva. E existem espaços multiuso, nos quais acontecem cursos, aulas, palestras, exposições, leituras dramáticas e apresentações de peças de teatro. Espaços intimistas, eles permitem a realização de eventos em que predomina uma relação mais próxima, personalizada.

 

Este ano, pela terceira vez, o Midrash realiza um ato pleno de amor – amor ao teatro, amor ao Rio, amor ao cidadão desta capital maltratada. O ato se materializa no Terceiro Festival Midrash de Teatro, acontecimento pensado deliberadamente para sublinhar a potência carioca na produção teatral. Várias peças de faturas bem variadas estarão disponíveis para atestar – e para promover a vitalidade do Rio. Confira abaixo a lista de ofertas irresistíveis.

 

O idealizador do evento e diretor do Midrash Centro Cultural, Rabino Nilton Bonder, observou que esteve no festival francês de Avignon e sonhou fazer algo no mesmo estilo, ainda que numa escala reduzida, na Cidade do Rio: “O festival é uma resposta natural a um movimento que começou há cerca de seis anos no Midrash. Fomos escolhidos pelo teatro! Regularmente recebemos um número muito grande de propostas e nem sempre podemos atender à demanda”, ele explicou.

 

Vale destacar que o festival, na terceira edição, caminha para se tornar uma instituição carioca e que, hoje, diante da crise que varre a cidade, a iniciativa adquiriu uma projeção notável. Mais do que um exemplo para aqueles que procuram ideias sobre o quê fazer para enfrentar o caos e reduzir a decadência, o festival se tornou um atestado eloquente do mais puro amor ao Rio. Um amor em que se misturam, em profunda harmonia, cultura de alta densidade e religião.

 

Veja a programação na íntegra:
 

Terceiro Festival Midrash de Teatro

 

03 e 04 de de julho | segunda e terça | 20h30
ESCRAVOS
de Machado de Assis
Direção de movimento de Rafaela Amado
Direção de produção de Ana Paula Abreu e Renata Blasi
Direção de Augusto Madeira
Com Alexandre Mofati
“Escravos” é um monólogo baseado no conto “Pai contra mãe”, de Machado de Assis. A montagem não apenas traz o conto como fio condutor, que leva ao debate sobre a escravidão e o preconceito racial, mas apresenta uma encenação da obra na íntegra, sem adaptações, possibilitando uma leitura fiel das abordagens do autor sobre o tema.
55 min. | 12 anos

04 de julho | terça | 19h
EU ORGANIZO O MOVIMENTO
Criação de Paulo Marques e Ana Paula Bouzas
Trilha Sonora de Luiz Brasil
Realização | MeimundoInventações Compartilhadas
Direção de Paulo Marques
Com Ana Paula Bouzas e participação de Luiz Brasil
EU ORGANIZO O MOVIMENTO é uma experiência cênica que reúne dança,música e teatro, criada pelos artistas Ana Paula Bouzas e Paulo Marques – inspirada num dos mais emblemáticos movimentos da Musica Popular Brasileira – a Tropicália – no ano em que se comemora 50 anos de sua existência.

05 e 06 de julho | quarta e quinta | 20h30
ESTREIA
A MULHER IDEAL
de Lorena da Silva e Claudio Serra
Supervisão de Amir Haddad
Direção de Lorena da Silva
Assistente de Direção Rosa Douat
Direção de Movimento de Joice Niskier
Direção Musical de Alessandro Persan
Produção Monica Saturnino – Colombina Realizações
Assistência de produção e assessoria de comunicação Wanessa Malvar
Iluminação Rommel Equer
Idealização e Realização L’acte
Consultoria de Figurino Benedito Neto
Com Lorena da Silva
O espetáculo é um monólogo, de autoria de Lorena da Silva e Claudio Serra, onde a atriz conta a história de Vitória através de suas relações amorosas entremeadas com o teatro.
50 min.

09 de julho | domingo | 18h
LOVE
de Jackson Costa, Cyria Coentro e Elisa Lucinda
Direção de Jackson Costa
Com Cyria Coentro
LOVE é um monólogo que revela, através de poemas de diversos autores, as inúmeras situações envolvendo sentimentos e emoções vividas pelo ser humano nas suas relações amorosas.
14 anos

09 e 10 de julho | domingo 20h e segunda 20h30
MEU SABA
de Noa Ben Artzi-Pelossof
Adaptação de Clarissa Kahane, Daniel Herz e Evelyn Dizitzer
Direção de Daniel Herz
Com Clarissa Kahane
Livremente inspirado no livro “Em nome da dor e da esperança”, de Noa Ben-Artzi Pelossof, a peça é um relato pessoal da autora sobre a relação com seu avô Yitzhak Rabin, que foi primeiro-ministro de Israel.
60 min. | 12 anos

11 de julho | terça | 19h
À FLOR DA PELE
de Consuelo de Castro
Assistência de direção Jozi Granha
Direção Bruno Sobral
Direção geral Guta Stresser
Realização da Liga Extraordinária
Com Laura Arbex e Bruno Sobral
À flor da pele é a estória de um casal de amantes com grandes conflitos internos propiciado pelas diferenças de idade e visões de mundo, no Brasil de 1969.

11 de julho | terça | 20h30
ESTUDO PARA MISSA PARA CLARICE
Um Espetáculo Sobre O Homem e Seu Deus
de Clarice Lispector
Direção de Eduardo Wotzik
Com Cristina Rudolph, Natally do Ó e Eduardo Wotzik
Um espetáculo sobre o homem e seu Deus. Uma aventura pelo sagrado na obra de Clarice Lispector. Reflexivo e divertido. Um Arauto e duas Beatas claricianas, fazem do Espaço do Teatro, um Templo de Reflexão, num ritual cênico que une a palavra de Lispector e a música de Górecki.
80 min. | 14 anos

12 de julho | quarta | 19h
NUNCA FUI CANALHA
de Tatá Lopes e Martha Mendonça
Direção de Victor Garcia Peralta
Com Tatá Lopes
Tatá dá vida a quatro mulheres canalhas inspiradas nas personagens do livro “Canalha: substantivo feminino”, de Martha Mendonça. A peça faz uma análise bem-humorada do caráter humano.
60 min. | 14 anos

12 e 13 de julho | quarta e quinta | 20h30
PINEAL
Ritual Cênico
Concepção e Direção Saulo Rocha
Texto, elenco, co-direção e figurino de Giovanna Bosco, Jéssica Ellen, Larissa Porto, Luellem de Castro, Priscila Vergniaud, Tainá Medina, Tuany Zanini e Yasmin Gomlevsky
Músicos | Breno Ferreira e Chico Brum
Espetáculo do Teatro de Afeto que fala sobre amor universal, Nova Era e questões sociais sob ponto de vista feminino.
100 min. | 16 anos

16 e 23 de julho | domingos | 16h
INFANTIL
PAMONHA E PANACA
Texto e direção de Rogério Blat
Com Ricardo Blat e Nelson Yabeta
Dois amigos inseparáveis, sem rumo na vida, travam uma disputa: um quer ser melhor que o outro. Nesse duelo cômico, eles desenvolvem um relacionamento absurdo, onde impera o individualismo e o imediatismo, agravando a situação.
60 min. | Livre

16 de julho | domingo | 18h
MARCOS CARUSO em
O ESCÂNDALO PHILIPPE DUSSAERT
de Jacques Mougenot
Tradução de Marilu de Seixas Corrêa
Direção de Fernando Philbert
Ganhador de todos os principais prêmios nas categorias “Melhor Ator”, ” Melhor Espetáculo” e “Melhor Produção”, Marcos Caruso vive nesta comédia um conferencista que divide com o público a investigação do escândalo envolvendo o pintor francês Philippe Dussaert.
80 min. | 12 anos

16 de julho | domingo | 20h
MARX BAIXOU EM MIM – UMA COMÉDIA INDIGNADA
Vida e contradições de Karl Marx
de Howard Zinn
Tradução de Tereza Briggs-Novaes
Direção e Interpretação de JitmanVibranovski
Marx, no além, pede para descer à terra porque está indignado e quer limpar seu nome. Deturparam suas ideias. Com o triunfo do capitalismo, a riqueza, como ele previu, está cada vez mais concentrada nas mãos de poucos.
60 min. | 14 anos

17 e 18 de julho | segunda e terça | 19h
POR QUE OS PRÉDIOS CAEM?
Texto e direção de Gustavo Rocha
Com Mônica Bittencourt e Gustavo Rocha
Um suicida reflete sobre sua vida e as escolhas que fez enquanto cai do alto de um prédio de 50 andares.
70 min | 16 anos

17 e 18 de julho | segunda e terça | 20h30
MÁSCARAS
de Menotti del Picchia
Direção de movimento de Johyne Ildefonso
Concepção e atuação de Cadu Fávero
Máscaras é um poema lírico, romântico e escrito na forma de peça de teatro por Menotti del Picchia em 1920. Transcreve o encantamento de dois homens, Arlequim e Pierrot, por uma mulher, Colombina.
40 min. | 14 anos

19 e 20 de julho | quarta e quinta | 19h
SOLOS DE MEMÓRIA
Idealização e direção de Morena Cattoni
Texto e atuação de Daniel Chagas, Gisela de Castro, Marcéli Torquato e Natasha Corbelino
Espetáculo com textos autoficcionais sobre memória, realidade e ficção, com inspirações na vida eobra da artista plástica Anna Bella Geiger.
70 min. | 12 anos

19 e 20 de julho | quarta e quinta | 20h30
ENTRE CORVOS
Livremente inspirado em O Suicidado da Sociedade, de Antonin Artaud
Texto de Ary Coslov e Marcelo Aquino
Direção de movimento de Ana Vitória
Direção de Ary Coslov
Com Marcelo Aquino
ENTRE CORVOS é uma provocação cênica que funde elementos da dança, do teatro e das artes plásticas em um espetáculo de teatro físico construído á partir da obra O SUICIDADO DA SOCIEDADE de Antonin Artaud (1896-1948), sobre o pintor Vincent Van Gogh (1853-1890).
70 min. | 16 anos

23 de julho | domingo | 18h
Oráculo Cia. De Teatro em
DIÁRIOS MARGINAIS:
Livre inspiração a partir da vida e obra de Lima Barreto e João do Rio
Direção de Luis Furlanetto
Texto e atuação de Gilson Gomes e Wagner Brandi
Lima Barreto (Gilson Gomes) está confinado em seu quarto e empenhado em terminar o seu “Cemitério dos vivos”, sua obra inacabada. Durante seus delírios, Lima terá um encontro com João do Rio (Wagner Brandi), e a partir daí travam um verdadeiro duelo em defesas de suas ideias.
60 min. | 14 anos

23 de julho | domingo | 20h
VALSA Nº 6
de Nelson Rodrigues
Direção de Daniel Herz
Com Rose Lima
O monólogo conta a história de Sônia, uma adolescente de 15 anos que foi abusada e assassinada pelo médico da família.
60 min. | 14 anos

24 e 25 de julho | segunda e terça | 19h
RICARDO
Um Homem do seu Tempo
Baseado no clássico de William Shakespeare – Ricardo III
Adaptação e concepção de Alexandre Gomes e Wellington Fagner
Direção de Wellington Fagner
Supervisão de Júlio Adrião
Com Alexandre Gomes
O espetáculo explora aspectos de dois Ricardos: O homem histórico e o personagem Shakespeariano. Conservando o eixo principal da história, as relações de poder, ambição e corrupção do ser humano, o ator-narrador transita entre os séculos XV e XXI, sugerindo que o espírito do Rei Ricardo III ainda vive entre nós.
50 min. | 12 anos

24 e 25 de julho | segunda e terça | 20h30
PEQUENOS E GRANDES GESTOS DE DESPEDIDA
Colaboração dramatúrgica de Luiz André Alvim, Bruno Levinson e Marcus Vinícius Faustini
Direção e iluminação de Luiz André Alvim
Atuação e dramaturgia de Georgiana Góes
Uma mulher, alguns objetos, uma tempestade, um e-mail, uma viagem de despedida e um amor perdido.
50 min. | 16 anos

26 de julho | quarta | 19h
PARA ONDE IR
Textos de Fiódor Dostoievski e Arthur Rimbaud, em homenagem a poesia crítica de Bertolt Brecht
Direção de Viviani Rayes
Adaptação e atuação de Yashar Zambuzzi
O monólogo “PARA ONDE IR”, é composto por 2 textos extraídos das obras, Crime e Castigo, de FiódorDostoiévski e Uma Temporada no Inferno, de Arthur Rimbaud, ambos fazendo uma homenagem a poesia crítica do jovem poeta Bertolt Brecht.
60 min. | 14 anos

26 e 27 de julho | quarta e quinta | 20h30
O OLHO DE VIDRO
de Renata Mizrahi
Livremente inspirado no livro “O Olho de Vidro do meu Avô” de Bartolomeu Campos de Queirós e nos relatos de Charles Asevedo
Criação Artística de Vera Holtz, Guilherme Leme e Flávia Pucci
Com Charles Asevedo
A peça, na primeira pessoa, é um relato sobre infância, relação com avô, descoberta da sexualidade, relação de opressão com o pai e de amor incondicional pela mãe. As histórias do livro e da vida do Charles se misturam numa criação poética, ficcional e documental. Não existe um limite entre ficção e realidade.
60 min. | 12 anos

27 e 30 de julho | quinta 19h e domingo 20h
PRINCÍPIOS TRANSGREDÍVEIS PARA AMORES PRECÁRIOS
de Thales Paradela
Direção de Rafael Sieg
Com Thales Paradela, Linn Jardim, Dâmaris Grün, Cristiane Maquiné e Felipe Frazão
Um pai recebe a inesperada visita da filha com a qual nunca conviveu e durante o preparo de um jantar abordam diversos significados do amor.
60 min. | 12 anos

Serviço
III FESTIVAL MIDRASH DE TEATRO
PERÍODO: 03 a 30 de julho de 2017
LOCAL: Midrash Centro Cultural
END.: Rua General Venâncio Flores, 184, Leblon, Rio de Janeiro
TEL.: + 55 21 2239-1800
E-MAIL: programacao@midrash.org.br
SITE: www.midrash.org.br
Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Compra de ingressos online, pelo site: www.midrash.org.br ou na secretaria do Midrash